De Taim a Jubiléia, Jorge Ricardo iguala o recorde mundial de vitórias Gávea

Foto Sylvio Rondinelli

De 16 de novembro de 1976 até 5 de fevereiro de 2018 passaram-se exatos 15.056 dias ou 41 anos, dois meses e 18 dias.

Durante esse período, consciente ou inconscientemente, Jorge Antônio Ricardo buscou esse momento: ser o maior ganhador da história do turfe mundial.

O dia chegou e no palco aonde tudo começou, o Hipódromo da Gávea. O templo maior do turfe nacional e um local que Ricardo conhece como a palma de sua e, no qual é, mui justamente, venerado por seus súditos.

No Hipódromo Brasileiro o bridão venceu mais de 9.000 páreos, entre eles TODOS os G1 integrantes do calendário clássico carioca, foi o campeão de 26 estatísticas ininterruptas, de 1982 até 2007, e detém a incrível soma de 477 êxitos num ano hípico (92/93).

Em 2006, já visando o recorde mundial transferiu-se para a Argentina. Num primeiro momento montando lá durante a semana e na Gávea nos finais de semana, depois, de forma definitiva no país hermano. O campeão chegou a 30 estatísticas conquistadas com as quatro vencidas na Argentina.

Chegar até esse momento não foi fácil e o nosso herói, o famoso lendário cavaleiro das inumeráveis vitórias, como bem nomeou seu livro sobre Ricardo, a escritora Jessie Navajas, venceu quedas, fraturas, suspensões e até um câncer.

Sim, em 2009 um linfoma tentou derrubar Jorge Ricardo, porém sua determinação, força e fé, não deixaram. Após um tratamento eficaz e poderoso, Ricardo fez jus à famosa frase: brasileiro não desiste nunca.

Recuperado, o bridão alternou-se em alguns momentos com Russell Baze na liderança do topo mundial. Porém, o canadense engrenou uma fabulosa quantidade de triunfos e reassumiu a ponta.

Aposentado em junho de 2016 após uma contusão na clavícula, Russell Baze deixou as pistas com 12.844 êxitos (à época Ricardo estava com 12.670, aproximadamente).

Mostrando toda sua grandeza, Ricardo veio ao RJ para igualar sua marca e volta em seguida para bater a marca na Argentina, sua 2ª pátria.

Hoje, Jorge Ricardo, de forma heróica e hercúlea, bem ao seu estilo, de ponta a ponta, levou Jubiléia, do Haras Sweet Carol, treinada por Adélcio Menegolo, ao espelho e alcançou os mesmos 12.844 êxitos de Baze e deixou honrado todo um país.

Antônio Ricardo, seu pai, de onde estiver está orgulhoso não só pela marca alcançada por seu filho, mas por ver que junto com Maria Ricardo, mãe do piloto, criou um homem digno e único.

Neste 05 de fevereiro de 2018, turfista ou não, é uma glória sem igual ser compatriota do “Ricardinho”, um exemplo de determinação, humildade, inteligência, trabalho, talento e SUCESSO!

 

Ave Campeão!

Obrigado Jorge Antônio Ricardo!

Transcrito JCB/Fernando Lopes

Entre em contatoEstamos esperando sua mensagem!