Wild Event morre em Bagé Outros

Foto Divulgação

O sábado amanheceu mais triste para toda a equipe do Haras Santa Maria de Araras, pois morreu o garanhão Wild Event devido à ruptura espontânea de diafragma.

Aos 25 anos, o filho de Wild Again e North of Éden, por Northfields teve papel importante na semana máxima do turfe brasileiro, ao ter como vencedora a potranca Fanciful no GP Roberto e Nelson Grimaldi Seabra (Grupo 1).

Na estatística clássica nacional, Wild Event ocupa a 2ª posição com 43 pontos, apenas um atrás do atual ponteiro Drosselmeyer, e como avô materno, é o 3º colocado.

Durante anos consecutivos, Wild Event venceu o Troféu Mossoró de melhor garanhão do turfe brasileiro. Foram 14 gerações produzidas, mais de 460 vencedores, sendo 157 nas provas clássicas.

“Para mim, foi o melhor garanhão que o Santa Maria de Araras teve”, afirmou Julio Bozano.

A campanha de Wild Event conta com 10 vitórias nos Estados Unidos com U$ 937,274 em prêmios: 1º Early Times Turf Classic Stakes (G1-1800m), W.L. McKnight Hcp (G2-1900m), Arlington Handicap (G2-2000m), Keeneland Breeders’ Cup Mile Stakes (G3-1600m), River City Handicap (G3-1800m), Fourstardave Handicap (G3-1700m), 2º Gulfstream Park Breeders’ Cup Hcp (G1-2000m), Appleton Handicap (G2-1600m), Fort Lauderdale Handicap (G3-1400m).

Wild Event ingressou na reprodução no ano 2000, nos Estados Unidos. Um ano depois, importado pelo Haras Santa Maria de Araras, cobriu o primeiro plantel brasileiro, com a geração inaugural, no Brasil, nascendo em 2002. Desde então, alcançou números de grande destaque, que lhe colocaram, por mais de uma década, entre os melhores reprodutores alojados no Brasil – e na América do Sul.

 

Até o momento, Wild Event conta com, nada menos, que 23 ganhadores individuais de G1: Eu Também (primeiro brasileiro a vencer o Derby Argentino), Fluke (múltiplo ganhador de G1 nos Estados Unidos e reprodutor de G1, precocemente desaparecido), Old Tune (tríplice coroada na Gávea), Double Trouble (ganhadora de G1 nos Estados Unidos), Brujo de Olleros (vencedor de graduação máxima no Uruguai e terceiro colocado na Breeders’ Cup Dirt Mile), Daffy Girl (primeira fêmea, em mais de 20 anos, a vencer o Derby Carioca), Que Fuerza, Smile Jenny, Sing-A-Song, Talenta, Tonemaí, Olympic Message, Sorrentino, Hunka Hunka, Diesmal, Poker Face, Cruiseliner, Daniel Boone, Double Care, Esfinge, Future Queen, Fiesta Napkin e Fanciful – esta, por sua vez, rendeu a Wild Event seu último G1 como reprodutor, em vida, ao vencer, no último sábado (9) o GP Roberto E Nelson Grimaldi Seabra (gr.I).

Além do sucesso como reprodutor, traduzido, também, por 4 Troféus Mossoró (2009, 2011, 2012 e 2016), Wild Event revela-se o terceiro colocado na atual estatística da avôs maternos. Dentre as matrizes produzidas por Wild Event, está Quanto Carina, única reprodutora na história da criação brasileira a contar com 5 ganhadores individuais de provas de grupo.

Em 2017, Wild Event cobriu 58 reprodutoras.

Entre em contatoEstamos esperando sua mensagem!