Ghoul mantém hegemonia no tiro curto com êxito no Clássico Sabinus - L Gávea

Foto Sylvio Rondinelli

Na sua quarta vitória consecutiva, o alazão Ghoul, no domingo, 16 de dezembro, no último Listed de 2018, bateu seus rivais nos 1.000 metros, grama leve, do Clássico Sabinus. A carreira foi uma celebração do Jockey Club Brasileiro a um dos grandes sementais da criação nacional.

Após a ótima partida, Isola di Fiori e Ghoul saíram lutando pela ponta, com Consul American na terceira colocação. Fofa Linda, Essential Lord, Cometa Karlo e Voando Sorrindo vinham na sequência. Por todo prolongamento, Ghoul e Isola di Fiori disputaram a primeira colocação, vigiados por Consul American.

No momento decisivo, com Vagner Borges sempre cuidando a atropelada de Consul American e Voando Sorrindo, Ghoul dominou a valente Isola di Fiori e colou na cerca. Consul American passou para segundo e veio dar carga no ponteiro. Porém, Ghoul é o “Papa-Léguas da Gávea“, como bem o batizou o narrador Fernando Cury, e como bem sabemos, o Lobo ou outro qualquer jamais alcançou o veloz personagem. Assim, em mais uma oportunidade na distância curta, na frente Ghoul. Consul American fez ótimo segundo com Voando Sorrindo completando a Trifeta. As fêmeas, Fofa Linda e Isola di Fiori fecharam o placar remunerado.

Preparado pelo líder Luiz Esteves no CT Vale do Marmelo, Ghoul é um 3 anos, filho de Put It Back e Prefect Friday, por Pure Prize, criado pelo Haras Santa Maria de Araras e defensor do Stud Verde. Na sua quinta vitória (todas no quilômetro) – sendo essa a segunda nobre, a outra no GP Cordeiro da Graça - G2 - em oito saídas, Ghoul passou os 1.000 metros em 55s34.

Transcrito JCB/Fernando Lopes

Entre em contatoEstamos esperando sua mensagem!