No GP Júlio Cápua - G2, em final eletrizante, Tiro Ao Alvo segue dominante na milha Gávea

Foto Sylvio Rondinelli

Mostrando ótima forma e que pode correr como seu piloto quiser e não só na ponta, Tiro Ao Alvo, em final eletrizante, superou Numba Juan e Bold Retriever por pequena diferença para seguir dominante na milha e vencer o Grande Prêmio Julio Cápua - G2. O páreo, em 1.600 metros, grama leve, uma das atrações do domingo, 16 de dezembro, no Hipódromo da Gávea, homenageou o homem quem enxergava à frente do tempo e construiu o primeiro CT do Rio de Janeiro, o Vale do Cuiabá, em Itaipava, região serrana do estado fluminense.

Dada a largada, Tiro Ao Alvo saiu primeiro das caixas, mas em rápidos galões Bold Retriever veio da baliza 10 e colou na cerca interna, assumindo o controle das ações. Recolhido, Tiro Ao Alvo corria em segundo, mas perto do ponteiro. Numba Juan era o terceiro, cinco corpos atrás dos dois primeiros. Céu de Brigadeiro, Espion Noir, Kris Five, Tiepollo e Invader eram os próximos. Em ritmo de acordo com a categoria dos inscritos, Bold Retriever galopava na ponta com Tiro Ao Alvo em seu encalço. Numba Juan não perdia os dois da frente do foco, vindo em terceiro. Invader buscava aproximar-se.

Ao entrarem pela reta final, Bold Retriever mantinha a ponta, mas Tiro Ao Alvo já apresentou-se para a briga. Numba Juan progredia francamente. Invader e Tiepollo eram outros que davam pinta de que poderiam brigar. Tiro Ao Alvo dominou Bold Retriever, mas não abriu vantagem. Numba Juan entrou na luta tripla. Valente e contando com inteligentíssima direção de Marcelo Gonçalves (que no meio da reta tirou o espaço de Marcelo Almeida bater com a direita, sem prejudicar Bold Retriever), Tiro Alvo chegou ao espelho com paleta de vantagem sobre Numba Juan e ½ corpo à frente de Bold Retriever. Tieppolo e Invader fecharam o marcador.

Em mais uma jornada brilhante, ganhou três dos cinco melhores provas disputadas entre sábado e domingo – Leviatan (Stud Eternamente Rio) no GP Frederico Lundgren (G2) e Ghoul (Stud Verde) no Clássico Sabinus (L.) -, o líder Luiz Esteves mantém Tiro Alvo em forma exuberante no CT Vale do Marmelo. O castanho de 5 anos, criado pelo Haras São José do Bom Retiro e defensor do Stud O Nacional, é um filho de Roderic O.Connor e Grand Miss, por War Chant. Na sua sexta vitória, em 18 saídas, sendo esta a terceira nobre – as outras duas o GP Gervásio Seabra (G2) e o Clássico Eurico Solanés (L.) – , assinalou para a milha, 1min34s48.

Transcrito JCB/Fernando Lopes

Entre em contatoEstamos esperando sua mensagem!